Por Fora
das Pistas

Notícias

A amazona olímpica Giovana Pass com Zingaro, (Luis Ruas)

10 de novembro de 2018

Campeonato Brasileiro de Adestramento agita a Sociedade Hípica Paulista

Principal disputa nacional da temporada é atração neste fim de semana, 10 e 11/11, na Sociedade Hípica Paulista, definindo o título brasileiro desde a base até o mais alto rendimento.

Com disputas em diferentes séries a competição define os campeões da temporada do Campeonato Brasileiro de Adestramento e Taça Brasil reunindo 71 conjuntos (cavalo x cavaleiro) de todos os níveis e categorias

A disputa pelo título de mais alto rendimento, Sênior Top, reúne os tops em atividade no país, entre eles três representantes do Time Brasil nos Jogos Equestres Mundiais de Tryon, EUA, em setembro: os olímpicos Leandro Aparecido da Silva montando Di Caprio, Pedro Tavares de Almeida com Aoleo e Giovana Pass que se apresenta pela ultima vez com Zíngaro de Lyw, além de Sarah Waddell/Quixote Donnelly, amazona que fez parte da equipe medalha de bronze no Pan de Toronto 2015.

Entre as mudanças estabelecidas pela Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) para as duas competições nesta temporada estão: a realização das provas em dois dias ao invés de três para todas as categorias; e as notas mínimas para concorrer as faixas de campeão e vice: nas séries Pônei, Iniciante, Mini-mirim, Mirim, Junior, Jovem Cavaleiro, Amador, Amador Top e Profissional, o conjunto (cavalo/cavaleiro) precisa obter a nota média final mínima de 61,000% na avaliação dos juízes; e de vice de 60,000%. Já nas séries Sênior, Sênior Top, Intermediária (média tour) e Cavalos Novos (4, 5, 6 e 7 anos) concorrerem ao título apenas quem fizer a nota média final mínima de 65% e de vice, 64%. A maior nota média final define os campeões de cada série.

Além do campeonato Brasileiro (Amadores) e Taça Brasil (Profissionais) de Adestramento, o Paraequestre também será representado nas pistas da Sociedade Hípica Paulista pela amazona Andrea Úrsula Oliveira Lima que montando Ziegfield Interagro compete no grau II.

O júri do Campeonato Brasileiro de Adestramento e Taça Brasil de Adestramento é formado por Cláudia Mesquita, Sandra Smith Martins Oliveira, Cel. Márcio Navarro de Camargo, Rosalind Flosi de Vasconcellos Macedo, Sonja Hannsen, Cel. Rui César Mello, todos de São Paulo, e Claudia Marcia de Sant’Anna, do Rio de Janeiro.

Participam da competição atletas de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Rumo à qualificativa do Pan 2019
O próximo desafio internacional dos atletas do Hipismo Adestramento é o Concurso de Dressage Internacional (CDI) de Buenos Aires que acontece entre 22 e 24/11, disputa válida como qualificativa para o Pan-americano 2019. O Time Brasil é formado por João Paulo dos Santos montando Carthago Comando SN, Mauro Pereira Júnior com Don Enrico AMM, Yara do Amaral Fernandes com Dileto HI e Victor Trielli Ávila montando Al Pacino Comando SN.

Todos estão reunidos na Hípica Paulista para fase final de treinamento e quarentena antes do embarque. Em 8/11, Sandra Smith de Oliveira Martins, juíza internacional e diretora de adestramento da Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), se reuniu com o grupo que embarca dia 14/11 para Argentina.

O pódio por equipe no CDI de Buenos Aires será definido com o resultado da soma de duas provas: Prix St. George no dia 22/11 e Intermediária I dia 23. Já o pódio individual será definido no Freestyle Intermediaria I que acontece dia 24/11.

O resultado do CDI de Buenos Aires será válido como qualificativa para os Jogos Pan-americanos 2019 em Lima, no Peru. Garantem vaga os países que ficarem entre os três primeiros colocados, e o conjunto brasileiro melhor classificado em Buenos Aires terá direito a uma das cinco vagas na equipe brasileira de Lima (caso o país classifique), desde que cumpra as demais exigências da Federação Equestre Internacional (FEI). O Pan de Lima é qualificativo para as Olimpíadas de Tóquio 2020.

Informações Imprensa CBH

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.