Por Fora
das Pistas

Acontece

5 de abril de 2018

Argentina estabelece medidas sanitárias para evitar a propagação do surto de gripe equina

O Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Alimentar (Senasa), decidiu reforçar uma série de medidas de saúde nas corridas e estábulos para diminuir a propagação do vírus da gripe detectados em San Juan.

O foco principal foi encontrado nas pistas de corridas de Mendoza, Palermo e San Isidro. Há suspeitas da presença da doença em outras partes da Argentina.

Felizmente, sabia-se que o vírus não afeta as pessoas. As autoridades estimam que ele poderia ter entrado do Chile, onde recentemente ocorreram casos dessa natureza.

Foi em 20 de março, quando foram detectados casos na pista da cidade de Mendoza. A equipe do Centro Regional coletou amostras de soro e swab nasal dos cavalos envolvidos, os quais foram positivos para a doença.

Atualmente a equipe realiza a análise epidemiológica correspondente. Sabia-se que também há cavalos com sintomas da doença em Rosário.

Por causa disso, as corridas de cavalos foram suspensas em La Pampa e os cavalos foram amostrados no autódromo de Trelew.

A gripe equina é semelhante à gripe em humanos. Segundo os especialistas, os sintomas incluem febre e decadência do animal; que geralmente aparecem três ou quatro dias após a infecção.

Eles propõem que para a recuperação do eqüino afetado seja isolado e não submetido a esforço físico. Se as indicações forem cumpridas, é possível que entre sete e dez dias ele recupere sua boa saúde.

Recomendações gerais

Durante Esteban, Programa Equine Disease Senasa, explicou que “esta é uma doença endêmica na Argentina, por isso, a cada ano estamos expostos a aparecer casos especialmente se o animal não foi vacinado.”

Por esta razão, recomendam a vacinação preventiva de cavalos não infectados, bem como a verificação da temperatura duas vezes ao dia.

Eles sugerem manter os cavalos em um ambiente bem ventilado, também higienizar e desinfetar as instalações.

É absolutamente necessário evitar o contato de cavalos que vêm de estabelecimentos ou eventos de risco com seus próprios animais.

Fonte: segundoenfoque

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.