Por Fora
das Pistas

Notícias

foto: reprodução internet

2 de setembro de 2018

A alimentação do cavalo pode interferir no desempenho reprodutivo

A nutrição é um fator determinante para a saúde de qualquer animal. E para os cavalos, isto não é diferente. Para que os animais possam apresentar uma boa performance, uma boa alimentação é essencial.

O segredo para que os cavalos possam ter um bom crescimento e uma melhor execução de suas funções, por muitas vezes está na alimentação.

Nos cavalos destinados à reprodução, a alimentação pode ajudar em seu melhor desempenho reprodutivo, por isso, há uma constante busca dos profissionais de manejo nutricional de equinos em encontrar formulações de rações que sejam mais eficientes e economicamente viáveis.

Má nutrição causa infertilidade?

Embora subestimada, a má nutrição é uma das principais responsáveis da infertilidade da égua. Um manejo nutricional deficitário pode acarretar problemas de ovulação (cio não fértil), nidação (fixação do embrião no útero), nascimento de potros prematuros e retardo do ciclo normal nos anos subsequentes.

Se a má nutrição for severa pode ocasionar problemas mais sérios, como o aborto, que predispõe ao animal complicações infecciosas.

Balanceamento correto da dieta

Os cavalos têm diferentes tipos de necessidades em cada fase. Por exemplo, éguas em lactação e gestação, cavalos adultos e potros em crescimento não conseguem satisfazer suas necessidades nutricionais apenas com volumosos.

Cavalos com necessidades energéticas precisam receber além de volumosos de qualidade, uma alimentação mais elaborada com concentrados, vitaminas e minerais.

O balanceamento correto da dieta resulta em um animal mais saudável e pronto para desenvolver o trabalho a que está destinado.

Utilização da soja

A soja é um componente que apresenta alta disponibilidade energética. Assim, a casca de soja surge como um alimento promissor a ser utilizado na alimentação dos equinos.

Ela pode ser utilizada na substituição total ou parcial do milho e de fontes proteicas, assim como na substituição de volumosos, como fenos de alfafa e gramíneas.

A soja ainda possui uma baixa taxa de fermentação que reduz os problemas de doenças como a acidose e o aparecimento da laminite.

Erros na alimentação

Existem dois tipos de erros mais comuns na alimentação das éguas, são eles:

Superalimentação: quando as éguas são alimentadas em grande quantidade na gestação, são mais propensas a apresentar problemas de obesidade, e tendem a criar potros pequenos.

Subalimentação: quando a égua é subnutrida durante a prenhez, são mais suscetíveis a desenvolver potros com deformação e problemas ortopédicos.

É importante lembrar que a nutrição dos potros após o nascimento não corrige os efeitos negativos de nutrição inadequada durante a gestação.

Fonte: EBAH

  • Compartilhe
  • <

Os comentários estão desativados.